© Pedro Figueiredo

Em Circulação > Esplendor e Dismorfia de Vera Mantero e Jonathan Uliel Saldanha, 2019

Esplendor e Dismorfia

de Vera Mantero e Jonathan Uliel Saldanha, 2019

Recital híbrido para dois corpos-paisagem animados pela respiração. Um aglomerado que se destrói e amplia, desastre e anti-desastre em que a aceleração, os fungos e a voz sobrevivem. Esplendores invisíveis. Hiper-futuro e hiper-passado. Entre a dismorfia, o sol e a carne.

Ficha Artística

Criação e Interpretação
Vera Mantero e Jonathan Uliel Saldanha
 
Cenário e Adereços
Vera Mantero e Jonathan Uliel Saldanha
 
Execução da Máscara de Fitas
Aldina Jesus
 
Banda Sonora
Jonathan Uliel Saldanha
 
Voz
Vera Mantero
 
Textos
Paysage avec Argonautes de Heiner Müller, excertos de Le monstre dans l’art occidental de Gilbert Lascault, © edição Klincksieck, Paris  
 
Imagens
Joos van Craesbeeck e Erbe, Pooley: USDA, ARS, EMU
 
Produção
O Rumo do Fumo 
 
Co-produção
SACD - Festival d'Avignon e Centro Cultural Vila Flor 
 
Agradecimentos
André Guedes, Catarina Miranda, Miguel Pereira e Tiago Barbosa
 
Uma primeira versão de Esplendor e Dismorfia foi criada durante a 73ª edição do Festival d’Avignon, programa Vive le Sujet!, uma co-produção SACD-Festival d’Avignon.

Cronologia

7 Fevereiro 2020, Festival GUIdance - Vera Mantero artista foco do festival, Pequeno Auditório, Centro Cultural Vila Flor, Guimarães/Portugal

Estreia - 6 a 8 e 10 a 12 Julho 2019, Festival d'Avignon - Vive le Sujet!, Jardin de la Vierge du lycée Saint-Joseph, Avignon/França

07
Fevereiro
2020

Esplendor e Dismorfia

de Vera Mantero e Jonathan Uliel Saldanha

Pequeno Auditório, Centro Cultural Vila Flor, Guimarães, Portugal

no âmbito do Festival GUIdance e do programa O Rumo do Fumo - 20 Anos

co-produção SACD - Festival d'Avignon e Centro Cultural Vila Flor

21h30

29
Outubro
2020

Esplendor e Dismorfia

de Vera Mantero e Jonathan Uliel Saldanha

Coimbra, Portugal

no âmbito do Festival Linha de Fuga